Quero uma poesia
que seja moderna,
que seja eterna
e tenha pernas...

Quero uma poesia
nem cheia,
nem vazia;
nem tristeza,
nem alegria...

Quero uma poesia
disforme,
mas que transforme
a cara do dia.

A.J. Cardiais
08/08/2013