Quanto vale
o que eu escrevo?
O meu desejo
é pura imaginação.

Um pedaço de pão
disfarça a fome.
Mas “sem um nome”
eu não chamo a atenção.

Trabalho duro nessa estrada
chamada de poesia,
vivendo sem mordomia.

Sigo a minha caminhada
fazendo do meu dia a dia
a rima rica da minha alegria.

A .J. Cardiais