PERTENCES

15 de Abril de 2018 RicardoC Poesias 47

PERTENCES (vilanela)

Algo que permanece d'aura extensa
Como a essência invisível dos objetos,
Cujo longo uso indicam-nos pertença:

Além do que se faz e o que se pensa
De nós em nossos gostos prediletos,
Algo que permanece d'aura extensa.

Desgastadas relíquias d'uma crença,
Onde os dedos premiram, inquietos,
Algo que permanece d'aura extensa.

Alguma fé absurda mas imensa,
A fazer-nos abstratos mais concretos...
Algo que permanece d'aura extensa.

Os óculos, a pena, o terno, a prensa...
Visto de humanidade já repletos,
Algo que permanece d'aura extensa.

Em tudo que estivemos nós completos,
Quando da ausência, seja-nos presença
Nos ressignificando em amuletos,
Algo que permanece d'aura extensa...

Betim - 15 04 2018

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
Traços Mudados há 1 hora

O tempo passou, e eu nem percebi... Meus Deus, o que mudou? Envelheci. ...
a_j_cardiais Poesias 24


Queimando os Últimos Cartuchos há 1 hora

Sinto que estou queimando os últimos cartuchos... Estou chegando ao fim....
a_j_cardiais Poesias 24


"Posso ser o poema" há 4 horas

Barcos que navegam, ao luar, as imensas ondas do mar até as nuvens lá n...
joaodasneves Poesias 5


"Vi em ti" há 12 horas

Em ti eu vi o sol, o mar senti o vento aprendi a viver, soltei o sentime...
joaodasneves Poesias 6


"Tenho" há 12 horas

Tenho amor para dar Paixão para receber Sei perdoar, mas não posso esq...
joaodasneves Poesias 8


"Queria ser o mar" há 13 horas

Queria tanto ser o mar Te abraçar com as minhas ondas Te desejar na arei...
joaodasneves Poesias 7