Nas fímbrias do teu olhar
Fiquei perdido
E assim sem rumo
Sem lenço ou prumo
Nas vagas do plenilúnio
Meu pensamento adeja no vórtice do inesperado
E a penumbra da solidão
Dardeja a saudade que feito
Um chicote lacera o meu peito.
E estirado quase inerte
Não ouso sustentar a energia
Que sai do teu olhar.
Benedito C G Lima