Aonde estas solidão?
Companheira da vida
Se alguém alguma vez te amou, fui eu
Amei-te como uma alma perdida
As pegadas la fora, matavam o silêncio do anoitecer
A noite a chegava, ela era convencida
Chegava como uma força desmedida
Solidão não é nada?
E sim, no meu interior é a minha amada
Solidão tanto que nos ama
Que nos amarra ao leito de uma cama
Nunca foste mais do que uma ficção
de riso e sombras, um poço sem fundo
Já foste dona do meu coração
Já vivestes no meu mundo, na minha imaginação
Adeus passado, adeus solidão...