Perdidos são os momentos
em que fico sozinho.
Sou um peixe fora d'água,
uma rosa sem espinho,
o canto triste de um passarinho
que, numa gaiola, longe do ninho,
morre aos poucos,
por estar sozinho.

Perdido,
no meio de uma multidão...
Vejo rostos sofridos,
frases à toa,
corações feridos,
mentes que voam...

Enquanto tudo me atrapalha,
e contra um muro se estraçalha,
o meu amor clama
por um beijo em chama,
que acenda a fornalha
do meu coração.

A.J. Cardiais
16.08.1983