Meus olhos agora te procuram,
mas tudo o que encontram são os sentidos
carregados de uma inabalável esperança.
Esperança de um dia com a simplicidade das flores,
tocar com a minha ternura, o seu templo desperto
e fazê-lo perceber a grandeza da eternidade desses
e, de muitos outros momentos repletos de amor.

Minha boca nesse exato momento
pronuncia teu nome...
como uma canção aquecida de sol e de mar,
com a fartura dos ventos
e a certeza das luzes sobre os espaços que há.
Sou eu meu amado
na palavra e no gesto
transbordando sentimento,
para compor poemas vivos
nas ondas do teu pensamento.
Somente para você sentir em minha unidade,
a força do amor
como finalidade sem condicionamento.

E me dou por inteira sem argumentos precipitados,
para que no valor dessas conjugações,
você seja impregnado de vida
e inverta quadros...
mirando o amanhecer
pra nós dois sem limitações.

Eu sei que necessitas desses silêncios,
mas não faça disso a certeza do fruto no movimento.
Porque a razão não é do amor, correlata...
O amor invade sem pedir licença à alma,
mas é a razão que impede de todas as formas
o seu consentimento, sem a necessária calma.

Logo, reveja conceitos
e ouça a voz latente do coração que quer tão somente alegria!
Não podemos significar apenas, ausências...
entre a beleza e a harmonia.
Preste mais atenção no que a tua vontade movimenta
e sinta como é intenso o volume
dessa desmedida Poesia!