Boca devoradora do tempo
que tudo vai apagando
varrendo da vida todo o encanto

Pincel fixador de temporadas
que tudo vai delineando
e os seus dias e noite vão se devorando

Fazedores de passado
seguem seu compasso
passou, passou deixou de ser

Varreram-se-lhe da mente todas as ilusões.
De que o fluxo do tempo
Não se estanca, não.

Somente em lembrança se refaz
o momento que jaz.

Enide Santos 05/09/13