Gosto de escrever ao léu,
sem saber a quem
ou se vou agradar a alguém.

Gosto de estudar o tempo,
olhar seus movimentos
e para onde vão as nuvens.

Não escolho palavras mágicas,
nem temas encantados,
sabendo que vão agradar...

Escuto o assobio das coisas
e os versos que o silêncio ousa
soprar-me ao pé do ouvido.

Eu fico tão envolvido,
que vou escrevendo, escrevendo...
Quando percebo, já está escrito

A.J. Cardiais