Te lembras?
da pequena cabana lá na colina,
É onde vive está alma em prisão,
Cercado e envolto em neblina
Vive ali prisioneiro da razão,
Os dias passam lentamente,
Na espera que chegue o luar,
Esta alma chora copiosamente,
Todos estes anos tenho esperado por ti,
nesse mesmo lugar...