O poema: //O Cigarro// 09.11.2014...

Tu cigarro eras a minha perdição,
Fostes o mais fogoso amor,
dentro da minha paixão.
Te amei, desejei, tu meu amigo, meu amante,
me matavas o vicio a cada instante,
Dos males que passei e de ti tanto fumei
Fiz do amor contigo, a paixão da minha boca, 
Sinto saudades de ti, em cada baforada louca.
Deixei nos meus olhos o último ver-te 
entre os meus dedos, o ultimo sentir-te
Eu disse-te adeus, meu querido, 
meu grande e eterno amigo, "cigarro" 
Escondo nas minhas mãos o carinho que te dei,
Carinhos que eram so teus, com esse carinho 
um dia eu te amei. 
E guardo na minha voz, 
e na minha mente este poema do adeus
Mesmo com a dor ruim do adeus, do sufocante sabor do primeiro ou último cigarro, 
não posso deixar de sentir a doçura de um poema 
que não é o primeiro e nem o último...
mas que demostra o meu eterno amor por ti!...

Adeus //O Cigarro// 09-11-2014