Todos os anos, por esta altura,
volto ao mesmo lugar,
assim que a saudade aperta e começa,
a cobrir as paredes da minha memória,
Dou tudo, tudo, pra te ver voltar,
Posso ficar farto de tudo,
mas nunca deixarei,
o passado apagar da mente e do meu coração,
este nosso apaixonado lugar,
onde tanto tempo atrás,
vinha-mos pela noite à procura de amor,
E aqui estou eu! a fumar um cigarro,
na espera de te ver chegar,
e tu te lembras?
Quando chegavas, abrias a porta sem avisar,
e te abraçavas a mim, me beijavas sem parar,
obrigado meu amor, por voltares ao meu pensamento,
que me fez voltar ao ninho do nosso amor,
onde um dia nos amamos e desejamos,
como nunca ninguém se desejou nem amou...