Celebremos a vida!

24 de Novembro de 2012 Silvio Dutra Poesias 436

Celebremos a vida porque nos foi dada
a vida abundante de nosso Senhor Jesus Cristo.
Vida que é abundante e eterna.
Vida que jamais deixará de crescer
em graça e em sabedoria e em amor.
Não importa quais sejam
nossas circunstâncias presentes.
Celebremos a vida!
Todos te abandonaram?
Faça como Paulo.
Celebre a vida e exulte na coroa de justiça
que Lhe aguarda no céu.
Esta esperança de recebê-la
é certa e não falhará
ainda que tudo mais possa falhar.
Se há dúvida quanto à certeza
do amor dos que nos cercam.
Todavia não há
qualquer dúvida ou incerteza
quanto ao amor fiel e constante
que Deus tem por nós.
Ninguém mais é a vida.
Somente Jesus é a vida, o caminho e a verdade.
Celebrem então a vida,
todos os quem têm a vida que é Cristo.
Poderão nos despojar dos nossos bens.
Poderemos perder nossos amigos.
Todavia, a vida de Cristo
prosseguirá conosco
por toda a eternidade.
Não olhemos então para os lados
onde há decepção e morte,
sejamos um farol da luz de Cristo,
da luz da Sua vida eterna
que nos foi concedida,
e fazendo isto, estaremos celebrando a vida
que jamais acaba e que nos faz somente
aquilo que é proveitoso
para nós e para o nosso bem.
Nada mais é necessário,
porque quando tudo tiver passado,
somente a vida de Cristo em nós permanecerá,
e ultrapassará até mesmo as fronteiras da morte.
Celebremos então a vida
sem cessar, sem esmorecer, sem desanimar.
O Senhor da vida está sempre perto
e jamais nos abandonará.
Portanto, celebremos a vida, porque:

1 Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente nas tribulações.
2 Portanto, não temeremos ainda que a terra se transtorne e os montes se abalem no seio dos mares;
3 ainda que as águas tumultuem e espumejem e na sua fúria os montes se estremeçam.
4 Há um rio, cujas correntes alegram a cidade de Deus, o santuário das moradas do Altíssimo.
5 Deus está no meio dela; jamais será abalada; Deus a ajudará desde antemanhã.
6 Bramam nações, reinos se abalam; ele faz ouvir a sua voz, e a terra se dissolve.
7 O SENHOR dos Exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio.
8 Vinde, contemplai as obras do SENHOR, que assolações efetuou na terra.
9 Ele põe termo à guerra até aos confins do mundo, quebra o arco e despedaça a lança; queima os carros no fogo.
10 Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus; sou exaltado entre as nações, sou exaltado na terra.
11 O SENHOR dos Exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio.
Salmo 46


Leia também
" Amar é" há 8 horas

Amar e como voar, no mais azul dos céus. É sentir a sensaçao de estar n...
joaodasneves Poesias 6


PAU DE FITAS há 13 horas

PAU DE FITAS Dançam as raparigas cá em roda D'um mastro d'onde fitas ...
ricardoc Sonetos 5


PAU DE FITAS há 13 horas

PAU DE FITAS Dançam as raparigas cá em roda D'um mastro d'onde fitas ...
ricardoc Sonetos 5


Falta de Amor ao Próximo há 17 horas

A razão de viver é amar... Mas a maioria das pessoas vive o amor ao din...
a_j_cardiais Poesias 37


Amor a Deus x Amor ao Mundo há 18 horas

Nos dias do autor não havia automóveis como os luxuosos que existem em no...
kuryos Artigos 8


A Origem e a Razão de Ser de Tudo há 23 horas

Deus não criou todas as coisas para depois intentar formar uma Igreja. Ao...
kuryos Artigos 16