Meu pequenino, meu filho amado,
Como gosto de ficar ao teu lado!
Ouvir as palavrinhas que aprendes a cada dia
Ou dormir juntinho, de conchinha,

Faz com que eu sinta o grande amor de Deus,
Que, em Sua misericórdia, a maternidade me concedeu.
Sou muito grata ao Altíssimo,
O louvo sempre por tudo isso.

Ver teu doce olhar
Enquanto fico a te amamentar
Dá-me uma linda sensação
De carinho, de amor, de proteção.

És a minha inspiração em prosa e verso,
És o meu amiguinho com quem brinco e converso.
Mas também aprontas travessuras e sapequices
E, às vezes, perco a paciência com as tuas tolices.

Mas logo tudo se resolve num demorado abraço
Que é repleto de carinhos e de alguns miados,
Pois sei que gostas de que eu imite os bichinhos
E isso te deixa ainda mais fofinho!

E o que dizer dos banhos divertidos,
Nos quais sempre molhas os meus vestidos?!
Para ti, o melhor mesmo é deitar na rede e mamar,
Dormindo no colo quentinho, que sempre vai te aconchegar.

Quando acordas, já pensas em correr
E eu vou atrás, com medo de que possas cair ou te bater.
E, ao fim do dia, oramos ao Papai do Céu
Com as mãozinhas bem juntinhas, como a linha e o carretel.

Meu filhinho amado,
Quero sempre estar ao teu lado.
Nas horas difíceis, nas horas divertidas,
Oraremos juntos por toda a vida!

Amo-te, meu pequenino,
És e serás sempre o meu doce menininho,
Que gosta de cantar, dançar, pular,
Correr, passear, brincar e orar!