O papel social dos professores

17 de Janeiro de 2013 MCSCP Poesias 445

Bem mais do que uma profissão,
Ser professor(a) é uma missão:
É professar o amor em sua plenitude,
É professar a verdade, os valores, as virtudes.

É professar a paz para vencer as guerras,
É professar a melhora que o planeta espera,
Pois toda mudança surge pela educação
E cada professor(a) é um(a) agente de transformação

O trabalho docente é como o do semeador
Que lança a semente no solo acolhedor.
Assim também, com as ideias, trabalha o professor,
Estimulando cada aluno a ser um pensador.

Pensadores e pensadoras, sujeitos do seu aprender:
Aprender a conhecer, a fazer, a conviver e a ser,
Pois esses são os pilares da educação
E constituem o caminho da revolução...

Da revolução pacífica, fraterna e humana:
Na qual a justiça e a misericórdia são soberanas,
Na qual a consciência é despertada,
E nenhuma vida é ameaçada.

Ser professor(a) é ter sensibilidade,
É trabalhar a favor da humanidade,
É saber que diferença rima com diversidade
E que é preciso combater a desigualdade.

Mas são poucas as pessoas a acreditar
Que, por meio da educação, o mundo pode mudar
E é por isso que não valorizam os professores,
Preferem bajular os que são opressores.

A classe dominante sempre dita o padrão,
Da norma culta da língua até o perfil de uma profissão:
Elabora critérios pautados na exclusão,
Sem deixar espaço para críticas ou indignação.

Afinal, quem reclama é demitido,
Quem bajula é promovido:
"Manda quem pode, obedece quem tem juízo"
Então, eu pergunto:Qual é o papel do professor em tudo isso?

Para quem não sabe, ouso dizer:
Os professores são os mediadores nessa relação de poder.
Por isso, necessitamos de uma educação transformadora
Que liberte os indivíduos da mentalidade opressora.

A educação precisa ser libertadora:
Dialógica, humana, afetiva, inovadora.
Deve problematizar a realidade,
Reconhecendo o sujeito e sua historicidade.

Paulo Freire muito nos ensinou.
Sua obra, a muitos, inspirou.
Mas há quem diga ser utopia
Tudo o que Freire acreditava, realizava e dizia.

Só que eu não me calo diante disso,
Pois sou professora e assumo o compromisso
De lutar pelo que eu acredito
E, de lutar, eu não desisto!

A educação é um ato político
Que exige reflexão, ação e senso crítico.
Não é algo neutro, não é adestramento,
Não é uma mera transferência de conhecimentos.

A classe opressora sabe disso muito bem
E, por isso, trata os professores com desdém.
A sociedade, muitas vezes, não valoriza o papel dos professores
Que são vistos como impotentes sonhadores.

E assim, muitos companheiros desistem de lutar...
Até mesmo uma outra carreira precisam buscar
Para obter respeito, dinheiro, dignidade e qualidade de vida.
Mas eu me questiono: O que a nossa profissão significa?

Significa desconstruir a relação de exploração
Significa acabar com o sistema de dominação
Significa mudar o modo de produção
Significa lutar por uma pacífica revolução

No entanto, há pessoas que não gostam da profissão
E se tornaram professores e professoras por falta de opção.
A essas eu aconselho: Não multipliquem tamanha frustração
Pois vão influenciar mal os indivíduos em formação.

Canso de ouvir tanta reclamação:
"O salário mal paga as contas do meu cartão!"
Em vez de reclamar e de se sentir, economicamente, impotente,
Que tal tentar consumir de forma consciente?

Que tal praticar a sustentabilidade
Por meio da redução, da reutilização e da reciclagem?
Que tal combater o capitalismo selvagem
Por meio da colaboração e da solidariedade?

Eu reconheço que são grandes os desafios,
Que, às vezes, a vida pessoal fica por um fio,
Pois temos que sacrificar o tempo com a família
E isso afeta a nossa qualidade de vida.

Precisamos de constante atualização
Por meio de doutorado, mestrado e especialização
Para subir na carreira e aumentar a remuneração
Mas nem sempre é fácil conciliar a família com a formação.

Além disso, o desrespeito e a falta de valor
Por parte de alunos que carecem de amor,
Tornam os professores reféns da violência
E agressões são banalizadas por meio das más influências.

Eu quero dizer, ou melhor, gritar:
Eu não me conformo, isso tem que mudar!
Chega de tanta banalidade e opressão,
Os professores não são como fantoches que passam de mão em mão.

Os professores e as professoras influenciam opinião
E podem alterar o rumo de uma nação.
São verdadeiros(as) revolucionários(as) a lutar
Para que o povo possa se emancipar.

Os anos que passamos na universidade
Nos ajudam a compreender a nossa realidade,
Nos fornecem os meios para mudar a socidade
E lutar por paz, equidade e liberdade.

Portanto, aos professores e às professoras,
Do meu amado e belo país,
Eu digo: Libertem-se da mão opressora,
Temos de aprender a ser feliz.

Combatam o bom combate
De vencer as dificuldades pela fé.
Quem crê em Deus, não se abate
E, diante das tormentas, fica de pé.

Lembrem-se de quem é o Mestre maior,
Lembrem-se de que, com Ele, somos um só.
Seguimos juntos na caminhada
Para a mais significativa das jornadas.

Trabalhamos com o ser humano,
Ajudamos a formar pensadores.
Pela verdade, vencemos os enganos.
Por amor, somos professores.


Ass.: Professora Maria Cleide da Silva Cardoso Pereira

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
Lembra? há 4 horas

Quando o tempo nós pertencia dia e noite não existiam? Quando ainda...
enidesantos Poesias 9


Principio há 4 horas

Toda a humanidade repelida da perfeição Privada da perspectiva da ...
enidesantos Poesias 8


Viandar há 4 horas

Viver e caminhar eu gosto de tudo que a vida me da Gosto de viver e ...
enidesantos Poesias 7


Fluxo do tempo. há 4 horas

Boca devoradora do tempo que tudo vai apagando varrendo da vida todo o en...
enidesantos Poesias 9


Sou há 5 horas

o que quero e onde quero Meu palco é a vida Dela faço brotar o pr...
enidesantos Poesias 8


Ame...! há 5 horas

Apenas ame Não se infecte de amor Infecte-se de vida Queira vida D...
enidesantos Poesias 6