Amor quantitativo

04 de Fevereiro de 2013 Doug Mota Poesias 383

Quantas pessoas terei que beijar
Para descobrir com qual vou viver?
Será que vale a pena arriscar
Pegar sapinho e talvez adoecer?

Você não se preocupa com a qualidade
Já eu, não sou um investidor de risco
Acho muito vã essa imbecilidade
De preencher o vazio com rabiscos

Desejo algo confiável e concreto
Não um banal corpo descartável
Só saberei qual é o momento certo
Quando me doarem um coração amável

A carne reina soberana sobre o sentimento
É a regra-mor que a minha geração prega
Prefiro ser trancado eternamente num convento
Do que viver me enfiando por aí como uma cobra cega.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
"Livro sem letras" há menos de 1 hora

Meus livros já estão sem letras Meu papel sem cor Com a caneta vazia Q...
joaodasneves Poesias 5


Amor há 2 horas

Quando Jesus diz que aquele que o ama é quem guarda os seus mandamentos, o...
kuryos Acrósticos 6


ESTÁ TÃO ESCURO (poesia infantil) há 4 horas

Está tão escuro Por causa do muro O chão é duro Não bata o nari...
madalao Infantil 6


Amor de Primavera há 17 horas

Morena, quando tu flores, o verbo em ti, primavera, seguirá o caminho do...
a_j_cardiais Poesias 42


CICATRIZES há 22 horas

CICATRIZES Não se vive essa vida impunemente... Todo mundo, mais dia m...
ricardoc Sonetos 6


" Amar é" há 1 dia

Amar e como voar, no mais azul dos céus. É sentir a sensaçao de estar n...
joaodasneves Poesias 12