A poesia guarda uma lei,
um código que protege seus versos,
algo que honrarei ,
perante valores submersos.

Entre as estrofes esculpidas,
elementos angélicos formam murais,
espelhos da vida,
que unem fantasias e fatos reais.

Entretanto, dentre as normas,
existe o elo que liga "o sempre" e "o jamais",
onde o nada toma forma!

Ainda se crê no poder do "rimar",
mas ainda que seja vital a estética,
é falso poeta quem não sabe amar!