Canto do poeta

29 de Junho de 2013 Olympio Ramos Poesias 365

Deixe que viva a poesia
no alvorecer do dia
no bico do beija-flor
importa é ter um poeta
que mesmo na hora morta
não rime amor e dor

O meu verso há de vir
nas asas do colibri
no bico do sabiá
importa mesmo um poeta
o poeta é a porta
na qual entra o verbo amar

Mesmo que me esquive tenho
'inda que franzido o cenho
um verso vindo de longe
tangido do vento norte
palavras doces ou fortes
encontrá-las meu Deus onde?

Vai operário das letras
semeia no solo fértil:
rimas, prosas, livres versos
busca além das estrelas,
'inda que não possa
tê-la a musa do universo

Olympio Ramos

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
John Owen - Hebreus 1 – Versos 1 e 2 – P4 há menos de 1 hora

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 4


John Owen - Hebreus 1 – Versos 1 e 2 – P3 há menos de 1 hora

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 4


John Owen - Hebreus 1 – Versos 1 e 2 – P2 há menos de 1 hora

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 4


John Owen - Hebreus 1 – Versos 1 e 2 – P1 há menos de 1 hora

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 6


"Ontem a noite" há 13 horas

Ontem pela noite Sentei-me no sofa A saudade batia-me no rosto A solidã...
joaodasneves Pensamentos 18


Confessar e se Arrepender em vez de se Endurecer há 16 horas

Em face de termos tão grande sumo sacerdote à direita de Deus nas altur...
kuryos Artigos 17