Melancolia Passada

13 de Agosto de 2013 Renan Nunes Poesias 304

Aqui estou eu, novamente,
Deitado em uma cama de hospital, deprimente.
Amarras prendem minhas pernas e braços.
Pareço um ninguém naquele pequeno espaço.

Observando-me pelo quadrado de vidro da porta,
Ouço dois sujeitos comentando: ''- esse aí, não tem volta!''
Dizem que fui longe demais,
E que nem eles sabem como fui capaz.

Neste exato momento, ensaio uma fuga.
Alguém em pé, olha para mim, sorri e põe uma luva.
Segundos após, ele pega uma seringa.
Também consigo dizer: aí está a minha saída''.

Sei que acordei assustado, aliviado, era só um pesadelo.
Confesso que, mesmo assim, tive medo.
Então, olhei para o lado e vi o médico
Agradeci e pedi para que não esquecesse da minha dose de remédio.


Leia também
CIDADE DOS PATOS (cordel infantil) há 20 horas

Vivia na bela cidade dos patos Um velho pato que contava fatos De uma fam...
madalao Infantil 5


"Feliz...dia...de...São João" ... há 1 dia

Quem dera ir mais além, cantar mais alto Sobre esse chão salgado onde na...
joaodasneves Poesias 6


No Vento da Literatura há 1 dia

Gosto da poesia quando chega de surpresa... Pode não ter beleza, mas q...
a_j_cardiais Poesias 38


Bendito Amor Eterno há 2 dias

Quando pensamos que Jesus disse que todo aquele que lhe foi dado pelo Pai, ...
kuryos Artigos 15


"Vendo" há 2 dias

Hoje vendo um corpo sem alma, e um extrovertido coração partido, uma ...
joaodasneves Acrósticos 10


"Te amo vinho tinto" há 2 dias

Tu meu querido vinho tinto, és e serás a minha inspiração, Ter o cop...
joaodasneves Poesias 11