Ruas me jogam para dentro de uma contradição,
Sem ter sombra ao caminhar, ao redor, tudo escuridão.
Mesmo que eu caminhe com o sol sendo meu companheiro,
Às pessoas que dizem ser felizes, eu não as vejo.

Ouço o reclamar da minha escrita sempre, quase todos os dias.
Dizem que é muito melodramática, a minha poesia.
Todos sentem o mesmo e não só de passagem.
A diferença é que eu expresso, enquanto outros, usam maquiagem.

Poesia nem tão boa, confesso. Nem sei se devo chamá-la assim.
Porém, faço disso um bem maior pra mim.
O mundo te quer infeliz, aceite ou vire o jogo.
Vá à luta, ganhe a batalha, ou corra, se esconda em qualquer esgoto.

Perdão, pois até o momento, ainda não tive coragem de ir até você.
É a luta entre o ego, ser feliz e continuar a sofrer.
Você merece ouvir muito mais, ser muito mais feliz.
Acredito não ser comigo, que você irá conseguir.

Não tenha pena, não sou passível desse sentimento.
É apenas uma bobagem, vai passar com o tempo.
Ele ainda só não deu as caras,
Por isso fantasio que minha vida é amarga.

Não sei se alguém pode me salvar, nem sei se quero.
Continuo traçando o caminho, não me desespero.
Posso não ter mais tanto tempo,
Mas ver seu sorriso, mesmo que de longe, com isso eu me contento.