A Bênção não é para uns Poucos

30 de Agosto de 2013 Silvio Dutra Poesias 202

Quão ardiloso és
oh grande Inimigo
da alma humana!

Insuflando nos ouvidos
dos que andam sofridos,
que não há esperança.

Que a bênção divina
é para uns poucos,
e que tem me excluído.

Oh grande mentiroso
e extremamente ardiloso!
Dizes que os que amam a Cristo
são presunçosos e altivos...
que pensam apenas em si mesmos.

Oh que o Senhor te repreenda,
grande pai da mentira!
Acaso não são eles movidos
pelo mesmo amor que há em Cristo?

Não estão prontos em todos os momentos,
a livrarem almas de tuas garras afiadas,
e assim serem livrados dos seus tormentos?

O Grande Mediador não é de um,
mas morreu por todos,
para que pela simples fé nEle,
pisem na tua cabeça – Serpente maldita,
e alcancem para sempre a Terra prometida.
Silvio Dutra


Leia também
A Origem e a Razão de Ser de Tudo há 4 horas

Deus não criou todas as coisas para depois intentar formar uma Igreja. Ao...
kuryos Artigos 6


ETERNAL (rondó) há 16 horas

ETERNAL (rondó) Não o poeta, sim a poesia Em cada verso haveria- De ...
ricardoc Poesias 7


Sintomático há 22 horas

Divagando pela favela, penso nela olhando a aquarela do sol se pondo. ...
a_j_cardiais Sonetos 41


"Minha humilde casinha" há 3 dias

Tenho na minha casa Quatro cadeiras e um colchão Uma mesa, e roupas pelo...
joaodasneves Poesias 21


Se Poema For Oração há 3 dias

Senhor, este poeta perdido vem Vos fazer um pedido: dai-me Vossa paz. ...
a_j_cardiais Poesias 81


"Bailei com a solidão" há 3 dias

"Bailei com a solidão" A beira do mar espero a Solidão E escuto ja o ...
joaodasneves Acrósticos 19