Ao céu e a terra
Ouço as batidas do meu coração
Atordoo meu sentindo
E Vejo-me completamente nu!
Aos olhos da Laguna
Deleitado lhes dos meus santos
Rastejando minha força
Dos punhos do Diabo
As santas da Igreja
O fogo do meu rastro
Idolatria insana
Da Força dos meus mastros
Do norte a oeste
Entre o sul ao meu destino
Das casas as capelas
Da minha solidão
Das mentiras e as severidades alheias
Eis que caio novamente.