Não tem de importar
O Reflexo que tens
Quando tento te achar
Nas cores cintilantes
Na qual navega teus fios
Que ondas mais belas
Me lembram grandes rios
Onde águas preto-avermelhadas levam velas
Velas que carregam sua gratidão para comigo
Em seus olhos vejo o meu universo
Em sua pupila observo a minha prisão
Que prisão mais bela
Quem dera eu tivesse a chance
De para sempre permanecer nela

Mas fui retirado
Completamente exilado
Queria continuar nesta prisão
Olhar tudo que você vê
Querer tudo que você quer
Infelizmente, estou proibido de amar você.