Carrego Silêncios


Carrego silêncios
há tanto tempo.
Mas não me são fardos,
Ao contrário, são leves!
Suas vozes ecoam
sobre o infinito,
Porém os seus gritos são breves.

Carrego silêncios quase palpáveis
Acariciadores, textura de lírios,
Vozes da alma que me aquecem
Mas são meus martírios,
Quando em momentos não raros, adormecem...


Você, se desejar, poderá ouvir também este poema recitado através do link abaixo:

http://www.recantodasletras.com.br/audios/poesias/57822



Ariadne Cavalcante