Em frente a uma praça me sento.
Observo em silencio.
Pessoas que vão e vem.
Passos firmes segue por caminhos que para mim, são desconhecidos.
Olhos atentos, para não perder o tempo, ao longe vem aqueles que olham em seus pulsos, seus relógios, ponteiros girando lentamente.
Alguns passam alegremente, sorrindo, despercebidos, outros envolvidos em assuntos, que fazem de alguma forma, seus semblantes despertarem sentimentos curiosos.

Vejo arvores que estão frondosas, e de seus galhos caem folhas secas, são levadas pelo vento.
O sol está cálido, e embaixo desta sombra tão refrescante, aprecio a vida diante de mim, que pulsa como o coração, batendo no peito.
Nas cirandas da vida, tudo muda, como um sopro.
Respiro então profundamente, e olho para cada sorriso, e continuo a observar.
Para que mais e mais, eu possa aprender, que em meio a tanto mistérios,a vida é bela, e esplendorosa.