AMÊNDOAS DO TEU SER

18 de Julho de 2011 Abreu Poesias 302

“... Abrindo os olhos, eu os via
Envoltos na mais pura nostalgia
Estavam sempre a me olhar
E com meus toques de prazer
Sentiam o núcleo do teu ser
Girar, vibrar, gemer, estremecer!

Tinham do mar a natureza
Da lua, do sol, do céu, a beleza
Do mais puro ouro, toda pureza
Não eram verdes, azuis ou amarelos
Um era lindo, o outro era belo
Todos dois eram bem singelos

Vibrando, um sentia e o outro gemia
Em êxtase total, cada qual me curtia
Meus carinhos os deixavam arrepiados
Me olhavam, estavam sempre eriçados
Uma aréola, sorrindo, gritava extasiada
Enquanto a outra somente contemplava ...”

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
Sintomático há menos de 1 hora

Divagando pela favela, penso nela olhando a aquarela do sol se pondo. ...
a_j_cardiais Sonetos 25


"Minha humilde casinha" há 2 dias

Tenho na minha casa Quatro cadeiras e um colchão Uma mesa, e roupas pelo...
joaodasneves Poesias 18


Se Poema For Oração há 2 dias

Senhor, este poeta perdido vem Vos fazer um pedido: dai-me Vossa paz. ...
a_j_cardiais Poesias 65


"Bailei com a solidão" há 2 dias

"Bailei com a solidão" A beira do mar espero a Solidão E escuto ja o ...
joaodasneves Acrósticos 15


Perseverar Até o Fim – Parte 1 há 2 dias

Por Charles H. Spurgeon (1834-1892) Traduzido, Adaptado e Editado por Si...
kuryos Artigos 30


Perseverar Até o Fim – Parte 2 há 2 dias

Por Charles H. Spurgeon (1834-1892) Traduzido, Adaptado e Editado por Si...
kuryos Artigos 13