Exaltação Irônica do Amor

19 de Julho de 2011 Meafius Poesias 513

Afrodite, deusa do Amor,
não ama.
Romeu e Julieta
não amam.
Há quem diga
que o amor é impassível,
mas Ele me intriga,
confunde, maltrata;
apenas arde com dores de parto.
O Amor é bondoso ?
Já ouviu o caso de Inês de Castro ?
Amaldiçoado, Virulento
nada mais é que um ceifador.
Só tu, maldito Amor
é quem culpo por retirar-me a vida.
Se de ti me livrasse,
não choraria; viveria
mas quando o Cupido contratou
e esse me flechou,
corrompeu-se minha vinha.
Descobri a dor.
Descobri o sexo.
Descobri a morte,
com enxofre, salguei minh'alma torta
enquanto o amor sorria,
com satânica malícia
aguardando meu agradecimento,
mas agora,
Inês é morta.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
Minha essência é a eternidade. há menos de 1 hora

Manhã cinza dia tão estranho e ruim, Paira no ar uma sensação de fraca...
elisergio Sonetos 5


LAMPEJOS há 1 hora

LAMPEJOS Eu pouco a pouco volto à realidade. Ao acordar, lamento antes...
ricardoc Sonetos 4


Deixe Esse Amor Crescer há 16 horas

Deixe esse amor crescer... Ele está brotando em um coração árido. De...
a_j_cardiais Sonetos 32


Ás palavras não são mais meu legado. há 17 horas

Fiz-me silenciar por que te perdi! Tu me revogara a licença concedida, D...
elisergio Sonetos 7


Não há o que comemorar. há 17 horas

Não há de fato o que comemorar! A virgem do sertão não é independente...
elisergio Sonetos 6


A vida depois daqui! há 17 horas

Ver que a morte não é o fim, é o início! Disse-me com amor chamando de...
elisergio Sonetos 6