Por que não me preocupar com a morte?

13 de Outubro de 2013 Adab Evans Poesias 260

Ah, belíssima dama das noites frias de inverno
Majestosa, aniquiladora de almas febris e solitárias
Me leve, oh deusa do escuro deslumbroso, inferno
A morte, única divindade de almas sofregas, unitárias

Por que oh morte não me levas para o escuro abrigo teu?
Por que não me arrebatas deste vil mundano fel?
Por que não me das teu gélido beijo em meu verão?
Por que não me seduzes cálice mortífero de cicuta?

Ah querida morte, por que malignamente não me atendes?
Oh querida, por que insiste em me deixar aqui?
Nãao! quero que me leves, venha minha deusa amada
Venha querida, beije-me com teus mortais lábios

Por que te amo? me perguntas oh esplendida dama
Porque sou incapaz de amar a um mundo doente
Porque este mundo não me basta, não me compreendo nele
Porque tu, oh lindíssima morte, é minha maior revolução.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
Uma Tal Pedra há 15 horas

No meio do caminho de muitas famílias, agora tem uma pedra... Tem uma...
a_j_cardiais Poesias 22


Mundo da Gataria há 15 horas

Gato criado com mordomia, não conhece o mundo da gataria. Não sobe nos...
a_j_cardiais Infantil 44


A história do amor há 16 horas

A história do amor O amor sempre existiu Em muitas formas Em várias ...
pfantonio Poesias 30


AFRO-AMERICANO - Des-História Universal há 16 horas

AFRO-AMERICANO Terra da Liberdade, a Norte-América Tornou republicana ...
ricardoc Sonetos 8


"Primeiro encontro" há 21 horas

Olha, te recordas da primeira vez que eu te vi? não foi só pra me distr...
joaodasneves Mensagens 7


John Owen - Hebreus 1 - Versos 4 e 5 – P3 há 1 dia

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Mensagens 9