Por que não me preocupar com a morte?

13 de Outubro de 2013 Adab Evans Poesias 262

Ah, belíssima dama das noites frias de inverno
Majestosa, aniquiladora de almas febris e solitárias
Me leve, oh deusa do escuro deslumbroso, inferno
A morte, única divindade de almas sofregas, unitárias

Por que oh morte não me levas para o escuro abrigo teu?
Por que não me arrebatas deste vil mundano fel?
Por que não me das teu gélido beijo em meu verão?
Por que não me seduzes cálice mortífero de cicuta?

Ah querida morte, por que malignamente não me atendes?
Oh querida, por que insiste em me deixar aqui?
Nãao! quero que me leves, venha minha deusa amada
Venha querida, beije-me com teus mortais lábios

Por que te amo? me perguntas oh esplendida dama
Porque sou incapaz de amar a um mundo doente
Porque este mundo não me basta, não me compreendo nele
Porque tu, oh lindíssima morte, é minha maior revolução.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
Bendito Amor Eterno há 9 horas

Quando pensamos que Jesus disse que todo aquele que lhe foi dado pelo Pai, ...
kuryos Artigos 6


"Vendo" há 11 horas

Hoje vendo um corpo sem alma, e um extrovertido coração partido, uma ...
joaodasneves Acrósticos 6


"Te amo vinho tinto" há 13 horas

Tu meu querido vinho tinto, és e serás a minha inspiração, Ter o cop...
joaodasneves Poesias 7


Gradeados há 14 horas

O céu está logo ali, depois dessa janela enjaulada... Meu amor é qua...
a_j_cardiais Poesias 48


Vida Artística há 14 horas

Não quero viver ao Deus dará... Sei que aqui, em se plantando tudo dá....
a_j_cardiais Poesias 38


"Eu sou boémio" há 14 horas

Eu em criança já era rebelde e um pouco vadio. Usufruía da noite, mesm...
joaodasneves Acrósticos 4