Acorda minha menina
Venha ver o pipiar
Das aves ao nascer do sol.
La de cima Deus permuta
E docemente perscruta
Elas cantam, Ele escuta

Acorda deixa de manha
O amor outra vez se faz.
Quando o corpo se assanha
Beija, acaricia, sonha,
O amor é tão contumaz...

Canções de amor tão suaves...
Que o próprio amor enternece
É a sinfonia das aves
Em nossas doces manhãs
Que sobe a Deus numa prece.

Leia também e divulgue: Os Grapiúnas, romance do Olympio Ramos, disponível na Amazon.com (leitura on line) e editora Creat Space (leitura impressa). obrigado a todos
Cabo Frio, 12/01/2013
Olympio Ramos