Mons†ro

19 de Julho de 2011 Meafius Poesias 285

Ele me queima com seu olhar
fareja o medo contido em mim,
lambe os sais de minha pele, saciando seu paladar
ouve meus gemidos e alisa minha pele com seu tocar.

Encontra seu prazer ao me domar
como um monstro à atacar;
me envolve como uma serpente,
despeja seu veneno em minha boca
entorpecendo minhas artérias,
comendo meu coração, agora comendo minha mente.

Em nossa intimidade
nos tornamos uma só carne,
meu gemido alivia a dor
que sinto quando sua pele me invade
me premiando com o êxtase do seu amor.

Eu sugo sua essência,
me nutrindo com o doce néctar da vida.
Mas os hematomas do seu carinho
arroxearam minha face e
as lágrimas da humilhação, lavaram minh'alma.

Meu corpo então oriça
e meus órgãos se esmagam
com a força de seu abraço,
com a chama de teu gozo que me aviva.


Leia também
"Minha humilde casinha" há 20 horas

Tenho na minha casa Quatro cadeiras e um colchão Uma mesa, e roupas pelo...
joaodasneves Poesias 14


Se Poema For Oração há 1 dia

Senhor, este poeta perdido vem Vos fazer um pedido: dai-me Vossa paz. ...
a_j_cardiais Poesias 45


"Bailei com a solidão" há 1 dia

"Bailei com a solidão" A beira do mar espero a Solidão E escuto ja o ...
joaodasneves Acrósticos 11


Perseverar Até o Fim – Parte 1 há 1 dia

Por Charles H. Spurgeon (1834-1892) Traduzido, Adaptado e Editado por Si...
kuryos Artigos 13


Perseverar Até o Fim – Parte 2 há 1 dia

Por Charles H. Spurgeon (1834-1892) Traduzido, Adaptado e Editado por Si...
kuryos Artigos 9


Separação há 2 dias

Pensei que separação fosse fácil... Que fosse só deixar seu amor, e ...
a_j_cardiais Poesias 40