Sonhei o mesmo sonho
Aquele sonho mais uma vez
Perseguição de inimigo
Quando o último amigo se foi
Aquele, o fidus Achates

Suado, azoinado, acordei
E me vi sozinho, no quarto escuro
O pensamento atormentado
Conceitos modificados

O dinheiro que nada valia
Estava a dividir, atrapalhar
Pois tinha o seu valor
Pior que escuridão a sufocar

É como perder um dente
Ou dois, os da frente
A lhe envergonhar
Para não mais sorrir

A chorar, contrafeito
Ou estar a se incomodar
O defeito a persistir
A modificar o meu pensar

Dinheiro não compra amigo
Genuíno, autêntico, sincero
Aquele, o fidus Achates
Sua falta o faz perdê-lo
Ele a se esvair, sumir, evaporar
A lhe deixar, no breu, sem zelo...