Velhos tempos.

23 de Outubro de 2013 Denis Ap. Valerio Poesias 283

Ah!



Velhos tempos, que saudades que me dá,



Do céu enluarado, de poesias rimadas e de seresteiros a
tocar,



Defronte a sua janela, sinais de amores incontáveis,
incapazes de se acabar,



Ah! Meu velho e bom tempo, que saudade dos encontros juvenis,



Dos rapazes pomposos, trajando elegantes vestimentas,



As moças sorridentes, cobrindo-lhes o corpo,



O véu da inocência,



Ah! Saudade que não quero abandonar,



Dos momentos inesquecíveis,



Com a minha viola empoeirada a tocar,



Saiam de suas cordas, melodias que seguiam no céu a bailar,



Observava ao relento, a luz da lua,



E o sereno da noite nua,



Lamentando com meus pensamentos,



Velhos tempos, quando você vai voltar.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
Para quem é a Mudança da Lei de Moisés há menos de 1 hora

O apóstolo Paulo afirma que o crente não está sob a lei e sim sob a gr...
kuryos Mensagens 5


Cultivando Observações - 1 há 2 horas

Eu vivia arrastando silêncios, pelas plataformas da vida. Agora dispenso...
a_j_cardiais Poesias 17


"É tarde demais" há 4 horas

Não há mais tempo Não adianta agora chorar É tarde demais. É tarde ...
joaodasneves Poesias 8


"Amada Amante"... há 4 horas

A primavera chegou, sai como sempre o dia estava bonito, o sol brilha...
joaodasneves Prosa Poética 4


"Eu queria" há 4 horas

Eu queria tanto beijar a tua boca e abraçar-te intensamente. Eu queria t...
joaodasneves Pensamentos 3


"Sabor dos teus beijos" há 4 horas

Parece que foi ontem vi-te passar naquela estrada Cruzei contigo um simpl...
joaodasneves Poesias 5