Velhos tempos.

23 de Outubro de 2013 Denis Ap. Valerio Poesias 288

Ah!



Velhos tempos, que saudades que me dá,



Do céu enluarado, de poesias rimadas e de seresteiros a
tocar,



Defronte a sua janela, sinais de amores incontáveis,
incapazes de se acabar,



Ah! Meu velho e bom tempo, que saudade dos encontros juvenis,



Dos rapazes pomposos, trajando elegantes vestimentas,



As moças sorridentes, cobrindo-lhes o corpo,



O véu da inocência,



Ah! Saudade que não quero abandonar,



Dos momentos inesquecíveis,



Com a minha viola empoeirada a tocar,



Saiam de suas cordas, melodias que seguiam no céu a bailar,



Observava ao relento, a luz da lua,



E o sereno da noite nua,



Lamentando com meus pensamentos,



Velhos tempos, quando você vai voltar.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
"Dia do amor" há 2 horas

Amanhã é o dia reservado ao Amor, E a fragrância das flores confunde-s...
joaodasneves Poesias 9


"Estou triste" há 9 horas

A noite se instala em mim. Lá fora, apenas o silêncio da noite e o teu o...
joaodasneves Poesias 11


"Estou cá a matutar" há 10 horas

Esses dias ando meio triste muito confuso, ando a querer isolar-me, f...
joaodasneves Pensamentos 9


A Humildade nos Cai Bem há 15 horas

Se o domínio total é do Senhor, porque o poder pertence a ele, isto dever...
kuryos Artigos 8


Fuga da Inspiração há 15 horas

Preciso terminar um poema que comecei numa empolgação danada... Dep...
a_j_cardiais Poesias 45


Um Dilema há 16 horas

Estou aqui reclamando da minha "vidinha", enquanto tem alguém por aí que...
a_j_cardiais Poesias 49