Áspero, esse trecho escuro
Íngreme, de intenso tráfico
Místico, em suores gélidos
Severo, com tumores tétricos

No labirinto, eu fico estático
Inextricável, me deixa elétrico
Na saída eu travo, ainda cético
O olhar é grave; o humor, metálico

No viver sinistro, ainda infausto
Medonho é o tempo, no cadafalso
E o sentimento, horrífico e cáustico

E a escrófula, repudiada, inexistente
Afasta o horror, num beijo cálido
A evadir-se, como chegou, furtivamente