A experiência tripla exalta-me
Três como um, a tríplice aliança
Cada um a lutar pelo corpo do outro
Por debaixo das cobertas em dia de verão

A santíssima trindade
Em um regozijamento divino
Limitando a fala a uivos e gemidos
Estando-nos como viemos ao mundo

Vai e vem, vem e vai
E grita-se e esperneia-se
E transforma-se a arte poética em sólida

E no ato de entrar e sair, de gemer e suar
De amar e ser amado
Cria-se a poesia