Cura das feridas da alma

30 de Outubro de 2013 Pr CJJacinto Poesias 265

Se teus sentimentos, presos em calabouços

num epico distante, como se fosse a terra média

entre as nuvens cósmicas

ilhas perdidas nas correntezas das chuvas

Se clamando, a dor não vai embora

aos "ais" amarrados com as cordas da aurora

nesses limites de horas que se eternizam

nos toques profundos que te machucam

Se nos epicos das preces pedes consolação

nas raizes da videira te agarras, buscando direção

num mergulho no ser, bebes o vinho perfumado

tu choras, num grito desesperado

Mas como sempre a paciencia prevalece

recebes de Deus o calor que aquece

outrora sagrando e todo machucado

voltas ao caminho feliz, estás curado

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
Lembra? há 6 horas

Quando o tempo nós pertencia dia e noite não existiam? Quando ainda...
enidesantos Poesias 9


Principio há 6 horas

Toda a humanidade repelida da perfeição Privada da perspectiva da ...
enidesantos Poesias 8


Viandar há 6 horas

Viver e caminhar eu gosto de tudo que a vida me da Gosto de viver e ...
enidesantos Poesias 7


Fluxo do tempo. há 6 horas

Boca devoradora do tempo que tudo vai apagando varrendo da vida todo o en...
enidesantos Poesias 9


Sou há 6 horas

o que quero e onde quero Meu palco é a vida Dela faço brotar o pr...
enidesantos Poesias 8


Ame...! há 6 horas

Apenas ame Não se infecte de amor Infecte-se de vida Queira vida D...
enidesantos Poesias 6