A gente vai chutando a porta

E mostrando nossas caras

Caras pintadas ou mesmo

Vazias sem máscaras.

No fundo somos palhaços

De muitos sorrisos

De muitas tristezas

Palhaços que cantam por tudo

E que choram por nada.

Palhaços que se procuram...

Que se encontram...

E que se amam.

Palhaços que se vão

E que se voltam...

Trazendo contigo grande bagagem

Ou mãos vazias se tornando infecundos.

Existem em nós palhaços oculares

Ou cegos pela ignorância

Se escondendo ou fugindo de suas responsabilidades.

E assim vamos chutando a porta

Jogando nossas cartas e apostando

Hora estamos bem

Outrora bem mal

Somos nada mais ou nada menos que...

Felizes e tristes palhaços !