Eu derramo as lagrimas de um rio

Dentro de mim

Duros momentos em que as feridas

Estão abertas

As minhas estrelas se apagaram

E a luz da esperança se acende em outro lugar

De onde não se esperava

É impossível que a brutalidade venha do amor

Mas a insensibilidade também cria monstros

Homens que te abraçam na tranqüilidade

E negam as mãos de auxilio na dor

A alma humana não resiste a injustiça

Quando está na luz

Assim como é incapaz de ficar insensível a

Obra da cruz

Mas um homem caminha sozinho

Ainda que a sua alma esteja rasgada

Sangrando as lagrimas da dor

Agonizando o desprezo atroz

Há um momento triste na vida

Chamada de sofrer injustamente

E ela se torna insuportável quando você

Não tem amigos

Ainda que os poucos que te restam te ajudem

A maioria te esmaga com dureza

De oprime com o faz de conta

Te esquece da tua existência

Eu percebo isso em mim mesmo

E de nada adianta lamentar

É preciso esperar

E não ser um desventurado de se esquecer

De DEUS

Quando todos os que eram considerados

Como amigos

Se esqueceram de mim

CJJ