Quimera

10 de Novembro de 2013 Olympio Ramos Poesias 36

Bem quisera...

uma saudade, uma quimera...

em cada outono uma primavera

uma longa estrada ou um além-mar

onde pudesse, mesmo nas tormentas

brioso navegar

as ondas do tempestuoso mar

a revolver o grito da minha alma

levar nas ondas de assombros tantos...

o versejar de todos os meus cantos

e no remanso

me trazer quimeras

um novo amor...

a calma...

uma doce espera...

se florescera

o riso da criança

no rosto meigo da gentil senhora

o navegar utópico

então seria

tranquilo mar... eterna calmaria.



Leia também e divulgue: Os Grapiúnas, romance do Olympio Ramos, disponível na Amazon.com (leitura on line) e editora Creat Space (leitura impressa). obrigado a todos
Cabo Frio 09/11/2013

Olympio Ramos

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
PAU DE FITAS há 3 horas

PAU DE FITAS Dançam as raparigas cá em roda D'um mastro d'onde fitas ...
ricardoc Sonetos 4


PAU DE FITAS há 3 horas

PAU DE FITAS Dançam as raparigas cá em roda D'um mastro d'onde fitas ...
ricardoc Sonetos 3


Falta de Amor ao Próximo há 7 horas

A razão de viver é amar... Mas a maioria das pessoas vive o amor ao din...
a_j_cardiais Poesias 29


Amor a Deus x Amor ao Mundo há 8 horas

Nos dias do autor não havia automóveis como os luxuosos que existem em no...
kuryos Artigos 8


A Origem e a Razão de Ser de Tudo há 13 horas

Deus não criou todas as coisas para depois intentar formar uma Igreja. Ao...
kuryos Artigos 16


ETERNAL (rondó) há 1 dia

ETERNAL (rondó) Não o poeta, sim a poesia Em cada verso haveria- De ...
ricardoc Poesias 8