Ciganos sabem amar

24 de Julho de 2011 Diogo Carmona Poesias 493

O cigano se estendeu no banco
Da praça d’onde a moça estava
Pensou em lhe escrever um poema
Mas papel e caneta faltava,

Enquanto a moça afastava-se
Parado o cigano a olhar
Fantasiava a melhor maneira
De enfim um beijo roubar,

Porém uma ironia do destino
Pôs o cigano a chorar
Ao ver sua querida amada
Partir e não mais voltar.

Nunca mais amou
Como amou aquela moça,
Na praça de seus sonhos
Ficam apenas vagas lembranças.

Talvez se o medo do “não”,
Não o tivesse consumido,
Estarias com a tal moça
Que teu coração havia escolhido.

Mas já cansado de chorar
Por ter o seu amor perdido
Com ela irá se encontrar
Nos belos campos floridos.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
A rua me aceita como sou há menos de 1 hora

A rua me aceita como sou (Livro Poesias Reflexivas- Antonio Ferreira) N...
pfantonio Poesias 27


Não seja superficial há 1 hora

Não seja superficial (Antonio Ferreira-Livro Poesias Reflexivas) Olhe ...
pfantonio Poesias 35


"Dia do amor" há 4 horas

Amanhã é o dia reservado ao Amor, E a fragrância das flores confunde-s...
joaodasneves Poesias 9


"Estou triste" há 11 horas

A noite se instala em mim. Lá fora, apenas o silêncio da noite e o teu o...
joaodasneves Poesias 13


"Estou cá a matutar" há 12 horas

Esses dias ando meio triste muito confuso, ando a querer isolar-me, f...
joaodasneves Pensamentos 9


A Humildade nos Cai Bem há 16 horas

Se o domínio total é do Senhor, porque o poder pertence a ele, isto dever...
kuryos Artigos 8