Quadris

18 de Novembro de 2013 Claudio A. Broliani Poesias 101

QUADRIS

Naquela voz,
de timbre sereno.
Ou naquele sussurro,
o gemido abafado.

Naquela boca,
de gosto divino.
Ou naquele beijo,
o desejo afogado.

Naqueles contornos,
do corpo moreno.
Ou naquelas curvas,
o “shape” dourado.

Naquele seu perfume,
que é um doce veneno.
Ou naquela mistura,
do nosso suor salgado.

E a hora onde me perco,
É no vai e vem que ela me ganha,
E o momento que mais sou feliz,
É no balanço dos seus quadris.

Cláudio A Broliani

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
Minha essência é a eternidade. há 2 horas

Manhã cinza dia tão estranho e ruim, Paira no ar uma sensação de fraca...
elisergio Sonetos 5


LAMPEJOS há 2 horas

LAMPEJOS Eu pouco a pouco volto à realidade. Ao acordar, lamento antes...
ricardoc Sonetos 4


Deixe Esse Amor Crescer há 17 horas

Deixe esse amor crescer... Ele está brotando em um coração árido. De...
a_j_cardiais Sonetos 33


Ás palavras não são mais meu legado. há 18 horas

Fiz-me silenciar por que te perdi! Tu me revogara a licença concedida, D...
elisergio Sonetos 7


Não há o que comemorar. há 18 horas

Não há de fato o que comemorar! A virgem do sertão não é independente...
elisergio Sonetos 6


A vida depois daqui! há 18 horas

Ver que a morte não é o fim, é o início! Disse-me com amor chamando de...
elisergio Sonetos 7