A vida é um vento de um alento

23 de Novembro de 2013 Pr CJJacinto Poesias 230

Sou vento que voa

sopro que vai

sou nevoa que se dissipa

sou alento humano

sombra da realidade

sou sonho

a pena flutuante de um passaro

sou algodão sonoro

raspas de Bdélio

sou leve como Bdélio

sou como o suave aroma

da terra molhada

a folha caida e amarelada

sou uma gota de chuva

o fátuo fogo em pano de linho

a folha rasgada de um perganinho

Sou humano

um ser que passa

que anda e se arrasta

um entre muitos que estão indo

dou boas vindas aos que vão chegando

porque dia apos dia

estou partindo

sou mais um nessa seara de gentes

sou a aresta que passa o pó

o barulho da pedra da mó

um andante 

errante

daqui prosseguindo

para um paraiso melhor

Clavio Juvenal Jacinto

23 de Novembro de 2013

Poema escrito após ver um cortejo funebre.....


Leia também
" Amar é" há 2 horas

Amar e como voar, no mais azul dos céus. É sentir a sensaçao de estar n...
joaodasneves Poesias 4


PAU DE FITAS há 6 horas

PAU DE FITAS Dançam as raparigas cá em roda D'um mastro d'onde fitas ...
ricardoc Sonetos 4


PAU DE FITAS há 6 horas

PAU DE FITAS Dançam as raparigas cá em roda D'um mastro d'onde fitas ...
ricardoc Sonetos 3


Falta de Amor ao Próximo há 11 horas

A razão de viver é amar... Mas a maioria das pessoas vive o amor ao din...
a_j_cardiais Poesias 32


Amor a Deus x Amor ao Mundo há 12 horas

Nos dias do autor não havia automóveis como os luxuosos que existem em no...
kuryos Artigos 8


A Origem e a Razão de Ser de Tudo há 16 horas

Deus não criou todas as coisas para depois intentar formar uma Igreja. Ao...
kuryos Artigos 16