Ó quantas
saudades eu  tenho :



Da minha infância
querida:



Que a autora
não traz mais:



Das velhas cantigas
de rodas:



Do pega-pega
do esconde-esconde:



Ó quantas
saudades eu tenho:



Do meu tempo
de criança:



Ò que
saudades eu tenho, das doces canções de ninar:



Que eu ouvia,
no doce embalo dos braços da minha amada mãe:



Hoje velho e
cansado, trago no peito sofrido ás doces recordações:



De uma infância
querida:



Que a autora
não traz mais.