PITTY

26 de Julho de 2011 Abreu Poesias 427

Saída de um porto ainda seguro

Decidida, sem normas ou metas

A derramar-se pelo mundo, atual

Já antevendo, relendo profetas

Nesses tempos de preguiça mental



Irreverência explícita em tatuagens

Marcada por dentro, algo coerente

Cicatrizando feridas em mensagens

Já inkoma, uma indução consciente

Viaja nos caminhos do sol, em claves



Inebriada, sangue enrubescido em flor

Espalhada, desabrochada, desbocada

A cantar, transpirando pingos de amor

Voz aveludada, ordenada, em revoada

Contradizente, melisseira de primeira



Em linguajar negro, ora misterioso

Mesclando um humor claro e escuro

Mesmo que seja estranho, ruidoso

A juntar tempo e dinheiro, no duro

E enfim, estarão a ouvi-la até o fim

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
Obedecendo o Vento há 9 horas

As folhas caem, e eu quero falar sobre isso, sem me preocupar com o feiti...
a_j_cardiais Poesias 26


"Verão na Europa" há 11 horas

Hoje começou o verão Mas todos os dias, são dias de verão O verão na...
joaodasneves Poesias 5


"Maria Emília" há 13 horas

Meu amor Antes de tu nasceres Raramente eu pensava em ti Iria com o pass...
joaodasneves Acrósticos 7


"Sou" há 14 horas

Sou o livro sem palavras Sou a historia por contar Sou o céu sem estre...
joaodasneves Acrósticos 7


"Livro sem letras" há 16 horas

Meus livros já estão sem letras Meu papel sem cor Com a caneta vazia Q...
joaodasneves Poesias 8


Amor há 18 horas

Quando Jesus diz que aquele que o ama é quem guarda os seus mandamentos, o...
kuryos Acrósticos 8