Chega uma hora em que se cansa

Enjoa

Enche o saco

Não se quer mais saber

Aquela velha insistência

Uma ilusão que não vai em bora

Apenas afasta

Repele

E de repente se está mais só

Cada vez menos

Como pode?

Por que não há um porto?

Ou há?

Um pequeno detalhe

Aos poucos se torna o que se é

"POR QUE?!"

Amanhã tudo estará normalmente

Dormente

E cada vez mais distante

Se antes estava só

Agora é menos

Como pode

ser menos que um?

E ainda assim

estar dividido?