Sujo

30 de Novembro de 2013 Crislambrecht Poesias 247

Chega uma hora em que se cansa

Enjoa

Enche o saco

Não se quer mais saber

Aquela velha insistência

Uma ilusão que não vai em bora

Apenas afasta

Repele

E de repente se está mais só

Cada vez menos

Como pode?

Por que não há um porto?

Ou há?

Um pequeno detalhe

Aos poucos se torna o que se é

"POR QUE?!"

Amanhã tudo estará normalmente

Dormente

E cada vez mais distante

Se antes estava só

Agora é menos

Como pode

ser menos que um?

E ainda assim

estar dividido?

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
Deixe Esse Amor Crescer há 8 horas

Deixe esse amor crescer... Ele está brotando em um coração árido. De...
a_j_cardiais Sonetos 28


Ás palavras não são mais meu legado. há 9 horas

Fiz-me silenciar por que te perdi! Tu me revogara a licença concedida, D...
elisergio Sonetos 6


Não há o que comemorar. há 9 horas

Não há de fato o que comemorar! A virgem do sertão não é independente...
elisergio Sonetos 6


A vida depois daqui! há 9 horas

Ver que a morte não é o fim, é o início! Disse-me com amor chamando de...
elisergio Sonetos 6


Os sentimentos podem se quebrar. há 9 horas

Apesar de tudo havia um quê de saudade, Sufocando todos os gritos de desp...
elisergio Sonetos 6


Tantos dedos em riste e nenhuma mão para ajudar. há 9 horas

Havia em mim aquele alto silêncio, E o velho monge insistia em quebrar. ...
elisergio Sonetos 6