Sujo

30 de Novembro de 2013 Crislambrecht Poesias 251

Chega uma hora em que se cansa

Enjoa

Enche o saco

Não se quer mais saber

Aquela velha insistência

Uma ilusão que não vai em bora

Apenas afasta

Repele

E de repente se está mais só

Cada vez menos

Como pode?

Por que não há um porto?

Ou há?

Um pequeno detalhe

Aos poucos se torna o que se é

"POR QUE?!"

Amanhã tudo estará normalmente

Dormente

E cada vez mais distante

Se antes estava só

Agora é menos

Como pode

ser menos que um?

E ainda assim

estar dividido?

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
LUTA ARMADA há 2 horas

LUTA ARMADA Aqueles tidos como imprescindíveis Pelo afã de lutar toda...
ricardoc Sonetos 4


Paz Celestial há 13 horas

Paz na alma é muito mais Do que paz de mente... pois passa desta par...
kuryos Artigos 11


Poema Rosa Para um Dia de Sol há 1 dia

A Rosa Emília A Rosa que an...
a_j_cardiais Poesias 52


Poema Suado há 1 dia

Estou num deserto de inspiração... Nada passa por aqui... Nem ladrão. ...
a_j_cardiais Poesias 44


Hebreus 3 - Versículos 7 a 11 – P 3 há 1 dia

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 19


Hebreus 3 - Versículos 7 a 11 – P 2 há 1 dia

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 12