• Sou um engenheiro da letra, 
  • Construo palavras límpidas
  • Sob cálculos de enésima sentidos.
  • Sou um engenheiro das letras, 
  • Escrevo meus estrofes
  • Como uma trigonometria poética
  • De cálculos perfeitos,
  • Das quais
  • As relações de cosenos ,senos e tangentes
  • Fluem nos ouvidos diferentes
  • De poéticos indecentes misturados
  • Com inocentes. 
  • Sou um engenheiro da letra, 
  • Os meus prédios poéticos
  • São projetados
  • Com sintaxes e semânticas
  • Associados aos logaritmos
  • De potência elevada,
  • Por isso mesmo, as minhas construções
  • Não caem como a cachoeira de rios
  • Das palavras jogadas...
  • Enfim, 
  • Sou um engenheiro da letra
  • E me acho um gênio
  • Como outros engenheiros-