Saudade.

Esta palavra

aprendi o nome.

A covardia

de não ter vivido

nas entranhas,

do desejo

que me

consome.