hoje vou desligar tudo que eu tiver à bateria. vou andar de onibus, de metrô, a pé. vou conhecer cada cantinho de mim que existe na cidade. e da cidade que existe em mim. vou procurar meus amigos na casa deles. descobrir cheiros e sabores. riscar a rua de giz, abraçar as árvores do parque, assobiar respondendo aos pássaros. hoje eu vou rir, vou dar gargalhada, mesmo que sozinha. vou conversar com as pessoas na rua, vou distribuir minha simpatia. chorar com aqueles que me emocionarem, com a tristeza e o desamparo que passam por mim sem que eu me dê conta. como se fosse natural. hoje eu vou dar conta. de ser eu. e eu vou dizer pro caminho à minha frente, que a partir de hoje vai ser sempre hoje.