Poder

09 de Dezembro de 2013 Pierre Souza e Lima Poesias 237

Viajo por ai, a procura de aventuras,

Uma vida perigosa e solitária,

Cujo único anseio é meu nome nos bardos escutar,

O cavaleiro, sua capa e sua espada,

Que saem pelos quatro cantos, ao mal derrubar,

Nunca quis um reino, ou uma princesa,

Só quero em todas as batalhas, minha espada desembainhar,

E logo no final da guerra, cerveja e mulheres,

E de todo o banquete me deleitar,

Povoado por povoado vou fazendo meu nome,

E cada menino plebeu, grita ele a monarquia,

Sou a voz dos calados pela espada,

Sou o suor do fazendeiro que planta para virem roubar,

A lágrima dos escravos da realeza, todas vou enxugando,

E nessa terra, onde houver mal, vou expurgar. 

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
" Amar é" há 8 horas

Amar e como voar, no mais azul dos céus. É sentir a sensaçao de estar n...
joaodasneves Poesias 6


PAU DE FITAS há 13 horas

PAU DE FITAS Dançam as raparigas cá em roda D'um mastro d'onde fitas ...
ricardoc Sonetos 5


PAU DE FITAS há 13 horas

PAU DE FITAS Dançam as raparigas cá em roda D'um mastro d'onde fitas ...
ricardoc Sonetos 5


Falta de Amor ao Próximo há 17 horas

A razão de viver é amar... Mas a maioria das pessoas vive o amor ao din...
a_j_cardiais Poesias 37


Amor a Deus x Amor ao Mundo há 18 horas

Nos dias do autor não havia automóveis como os luxuosos que existem em no...
kuryos Artigos 8


A Origem e a Razão de Ser de Tudo há 23 horas

Deus não criou todas as coisas para depois intentar formar uma Igreja. Ao...
kuryos Artigos 16