A saudade que agora me faz sofrer
Vem de longe; vem distante.
Vem de onde o sol queima
Vem do temor constante.
Vem do verde bem mais verde
E do sentimento de tormento.
Vem de onde passa o vento.

Meu coração todo enaltece
Pela terra de onde venho...
Que tem pássaros que gorjeiam
Que tem águas cristalinas
Que surge de uma mina
Que irriga solos cinzentos
E é de onde corre o vento

Meus olhos pranteiam
De saudades donde nasci
Onde no telhado canta o galo
Avisando um novo dia
Onde o gado em verdes pastos
Vem mugindo a contento.
Sou de onde canta o vento.

Mas o que posso fazer,
Se minha terra não mais existe?
Ela é isto aqui, toda fria e projetada...
Toda complexa, pelo homem transformada
Num frio e cinzento monte persiste.
Mas procuro ser feliz e disto me alimento,
Pois aqui ainda sopra o vento.