Tem que ser diferente, 

aquilo que só a gente sente 

e tem para iluminar a esperança.

De que vale morrer de saudade, 

pensar que seria o infinito.

Pode até ser momento, 

ter lamento ou sofrimento, 

mas tem que ser ao menos bonito.